O devorador em Malaquias 3 - Daniel Alves Pena

Assista o novo vídeo de Daniel Alves Pena - [Fechar o vídeo]

Headlines News :
Home » » O devorador em Malaquias 3

O devorador em Malaquias 3

Postado por Daniel Pena em quarta-feira, 26 de maio de 2010 | 22:19


Qual é a cor da letra S da Perdigão? Se você respondeu vermelho errou.
Perdigão não tem S o S é da SADIA.

Agindo da mesma forma muitos pastores, lideres, Obreiros e outros procuram fazer com que os fieis dizimem na promessa de que eles recebam uma grana a mais ou algo relativo à riqueza.
Existem até alguns que prometem mansões e empresas milionárias.

Alguém fala algo, mostra o texto na bíblia, mas o camarada não analisa o texto e acredita no que ouviu.

Vamos analisar a luz da Bíblia o texto áureo usado por estes.

Captividade Babilónica
Exílio em Babilónia, Cativeiro em Babilónia ou Exílio Babilónico é o nome geralmente usado para designar a deportação em massa e exílio dos judeus do antigo Reino de Judá para a Babilónia por Nabucodonosor II. Este período histórico foi marcado pela actividade dos profetas do Antigo Testamento, Jeremias, Ezequiel e Daniel. A primeira deportação teve início em 598 a.C.. Jerusalém é sítiada e o jovem Joaquim, Rei de Judá, rende-se voluntariamente. O Templo de Jerusalém é parcialmente saqueado e uma grande parte da nobreza, os oficiais militares e artífices, inclusive o Rei, são levados para o Exílio em Babilónia. Zedequias, tio do Rei Jeoaquim, é nomeado por Nabucodonosor II como rei vassalo. Precisamente 11 anos depois, em resultado de nova revolta no Reino de Judá, ocorre a segunda deportação em 587 a.C. e a consequente destruição de Jerusalém e seu Templo.

Governando os poucos judeus remanescentes na terra de Judá - os mais pobres - ficou Gedalias nomeado por Nabucodonosor II. Dois meses depois, Gedalias é assassinado e os poucos habitantes que restavam fogem para o Egipto com medo de represálias, deixando a terra de Judá (ex-Reino de Judá) efectivamente sem habitantes e suas cidades em ruínas. É certo que o período de cativeiro "em Babilónia" terminou no primeiro ano de reinado de Ciro II (538 a.C./537 a.C.) após a conquista persa da cidade de Babilónia (539 a.C.). Em consequência do Decreto de Ciro, os judeus exilados foram autorizados a regressar à terra de Judá, em particular a Jerusalém, para reconstruir o Templo.

Impacto na cultura judaica
Quando o povo judeu (israelitas) regressou à terra de Judá, encontrou uma mescla de povos – os samaritanos – que praticava uma religião com alguns pontos comuns com a religião do Antigo Israel. As hostilidades cresceram entre os judeus que regressavam e os samaritanos, uma divisão religiosa que permanece.O Cativeiro em Babilónica e o regresso do povo judeu à terra de Judá, foram entendidos como um dos grandes atos centrais no drama da relação entre o Deus de Israel e o seu povo arrependido. O caso do Reino de Judá foi muito diferente do destino das 10 Tribos que formavam o Reino de Israel Setentrional. Tal como o Antigo Israel tinha sido predestinado como povo para serem libertos da escravatura no Antigo Egito, agora os judeus estavam predestinados a serem punidos por Deus usando o Império Neo-babilónio e, mais uma vez, libertos. Esta experiência coletiva teve efeitos muito importantes na sua religião e cultura. Marca o surgimento da leitura e estudo da Torá nas sinagogas locais na vida religiosa dos judeus dispersos pelo mundo. Veja também Judaísmo.
Fonte / Wikipédia


MALAQUIAS 3

10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.

11 Também por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide no campo lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos exércitos.

No versículo temos duas coisas interessantes.

10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro

, para que haja mantimento na minha casa

O dizimo deveria ser levado a CASA DO TESOURO para ter mantimento na casa do Senhor.
Logo a CASA DO TESOURO não é a igreja, pois do contrario o mantimento seria para a CASA DO TESOURO e ele não faria menção NA MINHA CASA.

Vamos nos situar ao período

O texto foi escrito em meados do século V a.C. Após o regresso do exílio babilônico, o povo de Judá estava reconstruindo suas cidades e o Templo de Jerusalém.

Por iniciativa popular iniciou-se a reconstrução, e a construção foi terminada, teve ainda dificuldades de se estabelecer como centro da religiosidade popular.

Desde os últimos sacrifícios feitos no Templo antes do exílio tinham-se passado mais de um século, e a geração sabia muito pouco sobre aquela antiga religiosidade baseada em sacerdotes.
O número de sacrifícios e peregrinações não era o esperado, e as pessoas que viviam dos ofícios religiosos notaram que não sobreviveriam assim, sem a adesão nacional.
A CASA DO TESOURO citada era o Templo em Jerusalém.

Conclusão da primeira parte.

se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.


Deuteronômio 11

13 E há de ser que, se diligentemente obedeceres a meus mandamentos que eu hoje te ordeno, de amar ao Senhor teu Deus, e de o servir de todo o teu coração e de toda a tua alma,

14 darei a chuva da tua terra a seu tempo, a temporã e a serôdia, para que recolhas o teu grão, o teu mosto e o teu azeite;

15 e darei erva no teu campo para o teu gado, e comerás e fartar-te-ás.

- que dela vos advenha a maior abastança – Dela quem? Da Janela dos Céus.
Logo a proposta era enviar chuvas.
Termino da primeira analise.

O devorador.

11 Também por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide no campo lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos exércitos.

Notem que é uma narrativa a um ser material que come os frutos e a vide dos campos e galhos onde estão os frutos.
A promessa agrícola aqui mencionada não pode ser comparada a receber riqueza porque dizimou.

Até porque o dizimo é devolvido e não dado.

Sobre o devorador (gafanhoto)
Repare que o texto em Joel capitulo 2 faz referencia direta a uma praga que assolava os campos e destruía tudo.
O que Deus promete em Malaquias foi não permitir que os gafanhotos comecem tudo.
Mas eles precisariam plantar, cuidar e colher as frutas e vegetais.

Joel 2:21
21 Não temas, ó terra; regozija-te e alegra-te, porque o Senhor tem feito grandes coisas.

22 Não temais, animais do campo; porque os pastos do deserto já reverdecem, porque a árvore dá o seu fruto, e a vide e a figueira dão a sua força.

23 Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, e regozijai-vos no Senhor vosso Deus; porque ele vos dá em justa medida a chuva temporã, e faz descer abundante chuva, a temporã e a serôdia, como dantes.

24 E as eiras se encherão de trigo, e os lagares trasbordarão de mosto e de azeite.
25 Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros.
26 Comereis abundantemente, e vos fartareis, e louvareis o nome do SENHOR, vosso Deus, que se houve maravilhosamente convosco; e o meu povo jamais será envergonhado.
27 Sabereis que estou no meio de Israel e que eu sou o SENHOR, vosso Deus, e não há outro; e o meu povo jamais será envergonhado".
Em comparação de Joel com Apocalipse

APOCALIPSE 9

1 O quinto anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que do céu caíra sobre a terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo.

2 E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço, como fumaça de uma grande fornalha; e com a fumaça do poço escureceram-se o sol e o ar.

3 Da fumaça saíram gafanhotos sobre a terra; e foi-lhes dado poder, como o que têm os escorpiões da terra.

4 Foi-lhes dito que não fizessem dano à erva da terra, nem a verdura alguma, nem a árvore alguma, mas somente aos homens que não têm na fronte o selo de Deus.

5 Foi-lhes permitido, não que os matassem, mas que por cinco meses os atormentassem. E o seu tormento era semelhante ao tormento do escorpião, quando fere o homem.

6 Naqueles dias os homens buscarão a morte, e de modo algum a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles.

(Êxodo 10,12)
Então o SENHOR disse a Moisés: “Estende a mão sobre o Egito, para que os gafanhotos invadam a terra e devorem toda a vegetação do país, tudo o que o granizo poupou”.

(Êxodo 10,19)
O SENHOR mudou a direção do vento, que começou a soprar muito forte do ocidente, arrastando os gafanhotos e lançando-os no mar Vermelho. Não ficou um só gafanhoto em todo o território do Egito.

(Deuteronômio 28,38)
Semearás o campo em abundância mas pouco colherás, pois os gafanhotos hão de comer tudo.

(II Crônicas 6,28)
Se vier fome sobre a terra, ou peste, ou seca, gafanhotos ou lagartas, se os inimigos apertarem teu povo em algumas de suas cidades ou se ocorrer qualquer outra praga ou doença,

O mesmo gafanhoto em quatro fases de sua vida.
1º O cortador (pequeno),
2º Migrador,
3º Devorador e
4º Destruidor (grande).

O Cortador mora na lavoura;
o Migrador age de surpresa na lavoura;
o Devorador Impede que haja colheita
e o Destruidor mata o agricultor e a família.

O Cortador assola/come as folhas;
O Migrador destroça os galhos;
o Devorador tira-lhe a casaca
e o Destruidor derruba a planta – lança-a por terra.

Ele não tem estomago.
Vai comendo e defecando.
É o famoso buraco negro.
Onde ele passa deixa sujeira para trás.

Observe o contexto, se continuar a leitura, você verá o que Deus está prometendo.

campos abundantes e frutíferos. Campos precisam ser trabalhados. Deeu não promete a ninguém riqueza ou dinheiro fácil.
Deus não prometeu que enviaria legiões de anjos com tratores para trabalhar o campo por nós.  A promessa é de que Ele manterá a sua fonte de renda frutífera.
Isto é muito diferente de pensar que ficaremos ricos.

Não demos ouvidos à heresia da teologia da prosperidade.

Para fechar com chave de ouro.

Alguém já leu na Bíblia sobre espíritos devoradores que adormentam os não dizimistas.

a) Existe o "espírito devorador"?
b) Ele é um demônio a serviço do Diabo?
c) Ele pode ser expulso "em o Nome de Jesus"? Foi despojado na Cruz? Temos essa autoridade

Mateus 23

23 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas.
24
Guias cegos! que coais um mosquito, e engulis um camelo.

II CORINTIOS 9

6 Mas digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará,

7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria.

8 E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra;

O Dizimo é mandamento, mas não aceito a forma forçada de alguns que tentam oprimir os que menos sabem, não sei se por ignorância ou por ganância.

Deus não quer 10%, Deus quer você por inteiro, não adianta devolver o dizimo ao Senhor se você está cometendo algum pecado.
Deus não precisa do seu dinheiro, mas a igreja precisa saudar seus compromissos e ajudar os mais necessitados.
Quem dizima para receber algo em troca pensa que Deus e algum mercador que barganha sua graça e benção.
Meu amado, servo fiel dizime com amor e alegria.

No mais até a próxima.
Por Daniel Alves Pena
Bacharelando em Teologia – Faculdade Teológica Internacional.
Share this article :

0 comentários:

Acompanhe no Facebook

Postagens Recentes

Autoridade Espiritual

Autoridade espiritual não é algo imputada a alguém, é alguma coisa que se reconhece em alguém, que tem por causa da sua coerência de existência na palavra. Por causa da sua intrepidez na fé, na sua sinceridade no serviço a Deus e ao próximo. Sem isso não adiante ser PHD ou qualquer outro coisa.

Fale com o autor do blog

Original Bíblico para Pesquisas

A Restauração não começou em 1962

CURIOSIDADES SOBRE O VÉU

SAIBA COMO FOI

Nosso Ranking do Brasil

e-clipping sobre Daniel Alves Pena

MENSAGENS

Translate

Receba novos artigos por Email

Inscreva-se em meu Canal no You Tube

A DOUTRINA BÍBLICA DO USO DO VÉU

Pentecostal?

Quantidade de visitas até o momento

Visitantes lendo o Blog agora

Pesquisar neste blog

Código Penal - Decreto-lei 2848/40

Decreto-lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940
Ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo
Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.Parágrafo único - Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.

TOLERANDO A GENTE SE ENTENDE

Clique AQUI e saiba porque

ISSO NÃO SÃO LÍNGUAS ESTRANHAS

CONHEÇA A HISTÓRIA DA OBRA

Clique na imagem para ampliar

Ajuste de Conduta - Magno Malta

Anúncios AdSense

Pois muitos andam entre nós evangélicos

Intolerância Religiosa

LinkWithin

União de Blogueiros Evangélicos

 
Copyright © 2013. Daniel Alves Pena - All Rights Reserved
Template Adpted by Daniel Pweb Published by Daniel Pena
Ora, daqueles que pareciam ser alguma coisa, esses, nada me acrescentaram,antes, pelo contrário, (Gálatas 2.6)