DÉCIMO PRIMEIRO PASSO (Visão Terapêutica) - Daniel Alves Pena

Assista o novo vídeo de Daniel Alves Pena - [Fechar o vídeo]

Headlines News :
Home » » DÉCIMO PRIMEIRO PASSO (Visão Terapêutica)

DÉCIMO PRIMEIRO PASSO (Visão Terapêutica)

Postado por Daniel Pena em segunda-feira, 2 de janeiro de 2012 | 19:06

O Décimo Primeiro Passo diz: “Procuramos, através da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, na forma em que O concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós e forças para realizar essa vontade”.

Prossegue-se tentando viabilizar o processo de reaprendizado necessário para atingir o objetivo final de recuperação do alcoolismo: a convivência social plena composta de relações interpessoais prazerosas.
Como foi demonstrado ao discutir-se o Décimo Passo, é fundamental que o alcoolista possa, durante o reaprendizado, perceber aspectos positivos em sua vida, para manter-se motivado independente do grau de desconforto originado pelas dificuldades e conflitos, inter-humanos. Evidentemente, sabemos que o alcoolista tende, sempre, a procurar alívio em seu objeto de dependência e, portanto, tem maior necessidade de conforto que alguém sadio, não-dependente.

Assim como um inventário pessoal diário é útil para um balanço geral do dia ou do período vivido, a oração e a meditação são formas, igualmente importantes, de travar um contato mais íntimo com os fatos e as emoções envolvidas no dia a dia.
De uma maneira geral, o programa dos Doze Passos revela-se uma forma concreta de busca consciente do aperfeiçoamento pessoal, estando, portanto, subentendidas as dificuldades próprias a um processo de recondicionamento.

O mecanismo da oração e da meditação serve para, em momentos de angústia decorrente de conflitos e dúvidas, rememorar os propósitos de reavaliação e reformulação tentando, assim, frear impulsos antes que decisões ou atitudes precipitadas – inerentes ao padrão anterior de comportamento – possam trazer, agora, consequências desagradáveis e mais angústia. O hábito de, antes de qualquer conclusão, analisá-la cuidadosamente à luz dos propósitos originais é uma eficiente arma contra, por exemplo, o remorso e a culpa.
O tomar contato consciente com suas emoções possibilita ao alcoolista uma elaboração mais adequada das mesmas e o resultado advindo é a reação mais coerente com os tais propósitos de reformulação. Esse mecanismo é fonte de um sentimento de conforto e paz derivado da certeza de estar tentando acertar. E eis o mistério dos Doze Passos: a manutenção desse processo traz, ao mesmo tempo, alívio (prazer) e motivação para prosseguir.

Além disso, todos os mecanismos utilizados com o objetivo de estreitar o contato consigo próprio servem para facilitar a convivência social. Treinar o “parar para pensar”, condicionado à confirmação consciente da necessidade de aceitar suas limitações, é fundamental para que o alcoolista possa retirar daí a motivação para conviver com elas da melhor maneira possível. O relaxamento e a paz advindos desse contato fornecem condições para um convívio mais amplo em sociedade. É o treinamento que traz segurança ao alcoolista para enfrentar as dificuldades do relacionamento interpessoal sem o medo imobilizante de sofrer a cada momento. Estes, portanto, são métodos eficazes de viabilizar o crescimento através do prazer (paz e conforto).
Share this article :

0 comentários:

Acompanhe no Facebook

Postagens Recentes

Autoridade Espiritual

Autoridade espiritual não é algo imputada a alguém, é alguma coisa que se reconhece em alguém, que tem por causa da sua coerência de existência na palavra. Por causa da sua intrepidez na fé, na sua sinceridade no serviço a Deus e ao próximo. Sem isso não adiante ser PHD ou qualquer outro coisa.

Fale com o autor do blog

Original Bíblico para Pesquisas

A Restauração não começou em 1962

CURIOSIDADES SOBRE O VÉU

SAIBA COMO FOI

Nosso Ranking do Brasil

e-clipping sobre Daniel Alves Pena

MENSAGENS

Translate

Receba novos artigos por Email

Inscreva-se em meu Canal no You Tube

A DOUTRINA BÍBLICA DO USO DO VÉU

Pentecostal?

Quantidade de visitas até o momento

Visitantes lendo o Blog agora

Pesquisar neste blog

Código Penal - Decreto-lei 2848/40

Decreto-lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940
Ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo
Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.Parágrafo único - Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.

TOLERANDO A GENTE SE ENTENDE

Clique AQUI e saiba porque

ISSO NÃO SÃO LÍNGUAS ESTRANHAS

CONHEÇA A HISTÓRIA DA OBRA

Clique na imagem para ampliar

Ajuste de Conduta - Magno Malta

Anúncios AdSense

Pois muitos andam entre nós evangélicos

Intolerância Religiosa

LinkWithin

União de Blogueiros Evangélicos

 
Copyright © 2013. Daniel Alves Pena - All Rights Reserved
Template Adpted by Daniel Pweb Published by Daniel Pena
Ora, daqueles que pareciam ser alguma coisa, esses, nada me acrescentaram,antes, pelo contrário, (Gálatas 2.6)