O bom conselho - Daniel Alves Pena

Assista o novo vídeo de Daniel Alves Pena - [Fechar o vídeo]

Headlines News :
Home » » O bom conselho

O bom conselho

Postado por Daniel Pena em terça-feira, 28 de abril de 2009 | 01:34


Sempre quando alguém nos pede um aconselhamento, mesmo antes de ouvir já temos nossa opinião formada sobre o que dizer, pelo perfil da pessoa que nos pede o conselho.

Conforme a pessoa fala, vamos avaliando e formando nossas palavras para “ajudar o irmão em apuros”.
Se o irmão falar rápido, melhor ainda se ele demorar, já, já entraremos em ação com a frase – Bom , o que você deseja saber afinal?

Quando alguém te pede um conselho principalmente sobre a esfera espiritual é por que viu em você uma capacitação para isso e espera de você uma atitude espiritual, mas você já esta cheio com os seus próprios problemas e ainda tem que ouvir aquele irmão.

Se isso acontece com você meu amado, está na hora de você rever os seus valores, pois no evangelho segundo São Marcos capitulo 10, versículo 45 diz o seguinte:

“O Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos”.

O próprio Jesus Cristo veio para servir, mas você esta ocupado demais com os seus afazeres e quando aconselha, o faz segundo o seu entendimento, seu caráter e sua visão.

Você precisa esvaziar-se de seus conceitos e pré-conceitos e deixar que Deus fale por você.

Quem não sabe ouvir, não pode entender, quem não entende, não pode aconselhar.
Somente Deus pode avaliar a condição humana e receitar o remédio certo para cada ferida, ele quer te usar, mas para isso você tem que aprender a ouvir e não ter dois conselhos apenas.

1 – Calma irmão Deus proverá.
2 – Calma irmão o senhor sabe de todas as coisas.

Deixe que Deus te use para aconselhar, mas para isso você precisa estar vazio de você mesmo (Opinião própria segundo o seu conhecimento ) procure aconselhar segundo a palavra de Deus.
Cite exemplos da bíblia e não o exemplo do vizinho, do pastor.
De mais atenção aos que precisem, pois Jesus deu a vida para salva-los e você não pode trata-los com desprezo.
Cada caso é um caso, mas Deus é um só.

Até a próxima e a Paz para todos

Por Daniel Alves Pena
Share this article :

0 comentários:

Acompanhe no Facebook

Postagens Recentes

Autoridade Espiritual

Autoridade espiritual não é algo imputada a alguém, é alguma coisa que se reconhece em alguém, que tem por causa da sua coerência de existência na palavra. Por causa da sua intrepidez na fé, na sua sinceridade no serviço a Deus e ao próximo. Sem isso não adiante ser PHD ou qualquer outro coisa.

Fale com o autor do blog

Original Bíblico para Pesquisas

A Restauração não começou em 1962

CURIOSIDADES SOBRE O VÉU

SAIBA COMO FOI

Nosso Ranking do Brasil

e-clipping sobre Daniel Alves Pena

MENSAGENS

Translate

Receba novos artigos por Email

Inscreva-se em meu Canal no You Tube

A DOUTRINA BÍBLICA DO USO DO VÉU

Pentecostal?

Quantidade de visitas até o momento

Visitantes lendo o Blog agora

Pesquisar neste blog

Código Penal - Decreto-lei 2848/40

Decreto-lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940
Ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo
Art. 208 - Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.Parágrafo único - Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.

TOLERANDO A GENTE SE ENTENDE

Clique AQUI e saiba porque

ISSO NÃO SÃO LÍNGUAS ESTRANHAS

CONHEÇA A HISTÓRIA DA OBRA

Clique na imagem para ampliar

Ajuste de Conduta - Magno Malta

Anúncios AdSense

Pois muitos andam entre nós evangélicos

Intolerância Religiosa

LinkWithin

União de Blogueiros Evangélicos

 
Copyright © 2013. Daniel Alves Pena - All Rights Reserved
Template Adpted by Daniel Pweb Published by Daniel Pena
Ora, daqueles que pareciam ser alguma coisa, esses, nada me acrescentaram,antes, pelo contrário, (Gálatas 2.6)